Restrições de Viagem aos EUA para Cidadãos Estrangeiros

Há uma série de restrições para viagens aos EUA neste momento. Isso pode limitar os pontos de entrada no país ou até proibir completamente a entrada de alguns cidadãos estrangeiros.

Este artigo faz um levantamento sobre quem não pode entrar nos EUA e quais são as restrições de viagem para visitantes estrangeiros que estão em vigor atualmente. Continue lendo para entender:

  • Se você pode entrar nos EUA
  • Se há restrições que se aplicam ao local de onde você pode entrar no país
  • Quais as suspensões de viagem em vigor devido ao coronavírus da COVID-19

Para Quais Nacionalidades Há Restrições de Entrada nos EUA

A política externa dos Estados Unidos estipula que a entrada no país seja negada ou amplamente restrita para cidadãos de países com risco considerável para a saúde e segurança nacional. Por conta disso, há restrições em vigor atualmente que afetam as seguintes nações:

  • Chade
  • Irã
  • Líbia
  • Coreia do Norte
  • Síria
  • Venezuela
  • Iêmen

Os visitantes provenientes desses países devem encarar limitações em vistos que eles possam solicitar, além de passar por maiores verificações na imigração para a entrada no país. No momento, os cidadãos norte coreanos não podem entrar nos EUA sob nenhuma circunstância.

Quem Não Deve Entrar nos Estados Unidos

A autoridade de Segurança Interna dos EUA estabelece regras estritas para entrada no país, com base em atividades criminosas anteriores. Pessoas que tenham algum

histórico comprovado dos seguintes delitos devem ter os seus vistos, ou isenções de visto, rejeitados ou suspensos para entrada nos EUA:

  • Vício ou abuso de drogas
  • Tráfico de drogas
  • Espionagem
  • Terrorismo

Adicionalmente, a política de imigração dos EUA restringe a entrada de cidadãos que são considerados passíveis de se tornarem dependentes da assistência pública. Além disso, os portadores de doenças infecciosas, tais como as tuberculoses, podem ser considerados inadmissíveis.

Restrições Vigentes Contra o Coronavírus

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou novas restrições para viajantes estrangeiros em visita aos EUA, como resposta ao surto em andamento da COVID-19 desencadeada pelo novo coronavírus.

O coronavírus da COVID-19 originada na província de Hubei, na China, teve o primeiro caso registrado no dia 31 de dezembro de 2019 na cidade de Wuhan. Desde então, o tipo de pneumonia relacionada a esse vírus fez inúmeras vítimas na China e foram registrados casos da infecção na Europa, no sudeste da Ásia, no Canadá e EUA

Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a COVID-19 é uma pandemia.

Para um melhor isolamento contra a propagação do surto, diversos países começaram a implementar medidas preventivas contra o vírus para evitar que o COVID-19 atravesse fronteiras.

Os Estados Unidos agora fazem o mesmo, introduzindo restrições de viagem aos EUA provenientes da China e do Espaço Schengen Europeu e atualizando as recomendações quanto ao coronavírus em relação às viagens aos EUA.

Siga com a leitura para saber das novas restrições e conferir como elas vão afetar os viajantes que estiveram recentemente na China ou na União Europeia na hora de obter um visto americano ou autorização ESTA.

Qual a Recomendação dos EUA sobre Viagens da China e Europa, em relação ao Coronavírus?

Após o impacto inicial do surto de coronavírus na província de Hubei, o governo chinês suspendeu todas as viagens aéreas, ferroviárias ou por estradas na área ao redor de Wuhan e, desde então, foram adotadas outras restrições de viagens em regiões por toda a China.

Contudo, muitos outros países implementaram suas próprias restrições para cidadãos estrangeiros provenientes da China, com o propósito de conter uma possível propagação do vírus.

Restrições similares foram estabelecidas por toda a Itália, com toda atividade de viagem e negócios sendo estritamente limitada, como forma de combater o coronavírus. E a previsão é que outros países da Europa sigam esse exemplo.

Como resultado disso, o governo dos EUA tomou providências para mitigar os efeitos do coronavírus. Isso inclui limitações de quem pode e não pode entrar no país partindo de áreas afetadas.

Entrada de Cidadãos Chineses nos EUA

Em 2 de fevereiro, os EUA emitiram um novo alerta para viagens vindas da China e o

presidente Trump declarou a suspensão da entrada de cidadãos estrangeiros que estiveram na China nos 14 dias anteriores à chegada prevista aos Estados Unidos.

No entanto, também foi anunciado que viajantes estrangeiros que estiverem chegando de Hong Kong e Macau, que fazem parte da Região Administrativa Especial da China, não serão afetados pelo banimento de viagens provenientes da China.

Além disso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) emitiu suas próprias recomendações sobre coronavírus para a China apelando às pessoas que estiveram no país, ou foram expostos a alguém com os sintomas, para cooperar com as restrições de viagem a fim de garantir uma resposta efetiva à saúde pública.

Eles também recomendam à quem tiver suspeita de desenvolvimento dos sintomas da COVID-19 que faça contato com seu provedor de saúde e relate qualquer viagem anterior à China ou exposição a pacientes com coronavírus

Entrada de Cidadãos Europeus nos EUA

Em 11 de março de 2020, o presidente Trump anunciou uma proibição de viagens por 30 dias afetando passageiros chegando do Espaço Schengen da EU, em vigor a partir de 13 de março. Isso suspende a entrada de visitantes do bloco de 26 países para os quais a suspensão se mantém vigente.

A proibição, no entanto, não cobre os países europeus que não fazem parte do Tratado de Schengen. Cidadãos do Reino Unido, Irlanda, Bulgária, Romênia, Croácia, e Chipre, que não tenham estado no Espaço Schengen pelo período de 14 dias antes da chegada, ainda podem visitar os Estados Unidos sem nenhuma dessas restrições.

Embora não afete a todos os europeus, a proibição será aplicada a qualquer pessoa que esteve no Espaço Schengen até 14 dias antes de chegar aos EUA.

Além disso, os cidadãos norte-americanos, portadores de passaporte e Green Card ainda possuem o direito de entras nos EUS a partir de um ponto de origem na Europa, apesar da proibição permanecer em vigor. Essa exceção também se aplica aos seguintes estrangeiros:

  • Pessoas casadas com residentes permanentes ou cidadãos dos EUA
  • Pais ou guardiões de cidadãos dos EUA ou residentes permanentes menores de 21 anos
  • Irmãos e irmãs de residentes permanentes legalizados e cidadãos dos EUA desde que sejam menores de 21 anos e solteiros
  • Filhos ou crianças adotadas por cidadãos dos EUA ou residentes permanentes
  • Membros da tripulação de aeronaves e navios
  • Pessoas trabalhando para Agências Médicas para ajudar a conter o coronavírus
  • Oficiais de governos estrangeiros e membros de suas famílias
  • Trabalhadores das forças armadas dos EUA
  • Pessoas cuja entrada no país seja considerada de “interesse nacional”

Quem é Afetado pela Proibição de Viagem aos EUA?

As proibições de viagem aos EUA, que estão em vigor para proteção contra o novo Coronavírus vão afetar milhões de estrangeiros por todo o mundo. É importante se manter atualizado sobre as ocorrências referentes à pandemia. No momento, porém, viajantes de inúmeras regiões vão enfrentar restrições em viagens aos EUA.

Restrições em Vigor para Viajantes Chineses

A nova proibição de viagens EUA-China vai afetar temporariamente a possibilidade de solicitação do EVUS EUA para cidadãos chineses, bem como de outros cidadãos não americanos na China que precisam solicitar uma isenção de visto ESTA ou visto para entrar nos Estados Unidos.

Cidadãos estrangeiros que residem na China, tenham viajado recentemente pela China ou pretendam viajar à China antes de uma viagem aos Estados Unidos têm recebido a recomendação de adiar todos os compromissos para solicitação de visto para depois de 14 dias da data de saída da China.

Embora os estrangeiros que viajarem aos Estados Unidos a partir da China ainda fiquem sujeitos a novas restrições, há algumas exceções que se somam às para cidadãos dos EUA e Residentes Permanentes:

  • Indivíduos que tenham sido convidados a visitar o país pelo governo dos EUA
  • Cônjuges de cidadãos dos EUA ou de residentes permanentes
  • Pais ou guardiões legais de cidadãos dos EUA ou residentes permanentes menores de 21 anos e solteiros
  • Filhos, crianças adotadas ou sob custódia de cidadãos dos Estados Unidos ou residentes permanentes, ou em processo de adoção
  • Tripulantes de aviões ou navios (portadores de visto americano tipo C ou D)
  • Portadores de vistos diplomáticos (do tipo A ou G) ou visto da OTAN
  • Qualquer viajante admitido por “não impor um risco significante de introduzir, transmitir ou propagar o vírus, por determinação do diretor do CDC ou de seu representante”.

Novas Restrições para Visitantes do Espaço Schengen da UE

Em 11 de março de 2020, o presidente Trump anunciou uma nova proibição de viagens por 30 dias, que se aplica aos residentes e visitantes da área do Schengen europeu. Isso restringe a movimentação de pessoas visitando aos EUA a partir do continente europeu entre 13 de março e 12 de abril.

A proibição de viagens, anunciada por Proclamação Presidencial, afeta os seguintes 26 países do Schengen:

  • Áustria
  • Bélgica
  • República Checa
  • Dinamarca
  • Estônia
  • Finlândia
  • França
  • Alemanha
  • Grécia
  • Hungria
  • Islândia
  • Itália
  • Letônia
  • Liechtenstein
  • Lituânia
  • Luxemburgo
  • Malta
  • Holanda
  • Noruega
  • Polônia
  • Portugal
  • Eslováquia
  • Eslovênia
  • Espanha
  • Suécia
  • Suíça

A entrada nos EUA e as autorizações de viagem como o ESTA serão suspensas para as pessoas afetadas durante o período de proibição. Estrangeiros que estiveram no Espaço Schengen 14 antes da chegada aos EUA também terão banida a entrada no país. A única exceção é feita a residentes permanentes dos Estados Unidos.

Restrições em Aeroportos dos EUA para Viajantes da China

As pessoas que forem exceção à proibição de viagens chinesas terão a possibilidade de viajar aos Estados Unidos, mas ainda haverá certas restrições no aeroporto para quem tiver passado tempo na província de Hubei e no resto da China recentemente:

  • Todos os cidadãos dos EUA que estiveram na província de Hubei dentro de um período de 14 dias até o retorno estarão sujeitos a uma quarentena obrigatória na chegada.
  • Pessoas com nacionalidade nos Estados Unidos que estiveram em outras áreas continentais da China dentro do período prévio de 14 dias estarão sujeitas à realização de exames de saúde e até 14 dias de quarentena voluntária em casa.

Além disso, todos os voos entrando nos EUA com passageiros que recentemente passaram tempo na China foram redirecionados para aeroportos norte-americanos selecionados, com instalações para o procedimento adequado com viajantes que possam ter entrado em contato com o vírus.

Enquanto as restrições ao coronavírus estiverem em vigor, estes estrangeiros apenas poderão entrar nos Estados Unidos através dos seguintes aeroportos americanos:

  • Aeroporto Internacional O’Hare de Chicago, Illinois (ORD)
  • Aeroporto Internacional de Dallas/Fort Worth, Texas (DFW)
  • Aeroporto Internacional Daniel K. Inouye de Honolulu, Havaí (HNL)
  • Aeroporto Metropolitano de Detroit, Michigan (DTW)
  • Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson de Atlanta, Georgia (ATL)
  • Aeroporto Internacional John F. Kennedy, Nova Iorque (JFK)
  • Aeroporto Internacional Los Angeles, Califórnia (LAX)
  • Aeroporto Internacional Newark Liberty, Nova Jérsei (EWR)
  • Aeroporto Internacional de San Francisco, Califórnia (SFO)
  • Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma, Washington (SEA)
  • Aeroporto Internacional Washington-Dulles, Virgínia (IAD)